investafrespconveniosesportes

Rodrigo Spada e Roberto Kupski se encontram com deputado Arnaldo Faria de Sá em reunião contra a reforma da Previdência

9 de janeiro de 2018

“Nós temos que nos articular contra a Reforma da Previdência. Esse jogo é desleal, precisamos jogar muito para não perder terreno”, afirmou o deputado federal Arnaldo Faria de Sá em reunião realizada hoje (09/01), no seu escritório político, em São Paulo. O presidente da Afresp, Rodrigo Keidel Spada, e o da Febrafite, Roberto Kupski, além de representantes de entidades de classe, participaram do encontro.

deputado_Arnaldo_previdencia_todos

Forte opositor da Reforma no Congresso Nacional, o deputado Arnaldo Faria de Sá alertou os participantes sobre as atividades do governo federal para conseguir apoio à Reforma, como a participação do presidente Michel Temer em programas de TV (conforme noticiado pela Folha de S.Paulo, em 08/01/2017). “O presidente Temer quer mostrar que a Reforma é positiva. Precisamos nos articular contra ela. Se não fizermos isso, seremos atropelados”, advertiu.

O presidente da Afresp, Rodrigo Spada, ao lado do deputado Arnaldo Faria de Sá

O presidente da Afresp, Rodrigo Spada, ao lado do deputado Arnaldo Faria de Sá

O presidente Rodrigo Spada, por sua vez, fez coro com o deputado. “Quero pensar que isso é um jogo, conforme disse o deputado Arnaldo Faria de Sá. Na verdade, um campeonato longo, com muitas partidas. Precisamos olhar para o futuro. Este governo termina no fim deste ano, mas a Reforma da Previdência não. Como faremos no ano que vem? Por isso, necessitamos de combatentes como o deputado Arnaldo”, disse ele.

Em seguida, o presidente da Febrafite, Roberto Kupski, falou sobre o que pode ser feito contra a Reforma. “Devemos pensar em ações de contato com os parlamentares sobre a Reforma, e esta é nossa missão enquanto servidores públicos, que desde 1998 já têm previstos a idade mínima para aposentadoria e o tempo de contribuição para a previdência. Por isso, pergunto ao deputado: o governo tem força para realizar a votação da Reforma em fevereiro?”. “O governo está trabalhando muito para isso”, responde Arnaldo Faria de Sá, que emenda: “mas precisamos explorar o desgaste que acontece dentro do próprio governo”.

O presidente da Febrafite, Roberto Kupski, entre Rodrigo Spada e o deputado

O presidente da Febrafite, Roberto Kupski, entre Rodrigo Spada e o deputado

Os participantes do encontro levantaram vários pontos sobre o processo de aprovação da Reforma da Previdência. “Defendemos o serviço público. O prejuízo será muito grande, especialmente para os pensionistas”, disse o juiz Fernando Figueiredo Bartoletti, da Apamagis (Associação Paulista de Magistrados). Já o diretor Jurídico da CNSP (Confederação Nacional dos Servidores Públicos), Julio Bonafonte, acrescentou: “é necessária uma nova discussão, um novo modelo de Previdência”. “Não podemos admitir que o governo tire recursos e direitos trabalhistas para resolver o déficit da Previdência”, afirmou o vice-presidente da Anfip (Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil), Ariovaldo Cirelo.

Também estiveram presentes no encontro diversas entidades de servidores públicos, como o presidente da Anamatra (Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho), Guilherme Feliciano; o membro da OAB-SP, Márcio Coelho; o presidente da Afpesp, Antonio Duarte Moreira; o promotor José Carlos Cosenzo, do Ministério Público; o presidente da CNSP (Confederação Nacional dos Servidores Públicos), Antonio Tuccilio; o 2º vice-presidente do Sindifisco/SP, José Caetano dos Santos; o representante do Sinait/SP (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho), Rodrigo Takeo Iquegami; a presidente do MAS (Movimento Acorda Sociedade), Dirce Namie Kosugi; o representante do Mosap (Movimento Nacional dos Servidores Públicos Aposentados e Pensionistas), Edison G. Haubert; e a representante da Frente Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal, Rose A. Mariano.